:::: MENU ::::


2 | A INFLUÊNCIA DA IMIGRAÇÃO DO POVO UCRANIANO NO PROCESSO DE
COLONIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE RONCADOR – PR

O município de Roncador localiza-se na microrregião Centro-Oeste do Estado
do Paraná, limita-se ao norte com os municípios de Luisiana e Iretama, ao sul com
Palmital e Mato Rico, ao leste com Nova Tebas e ao oeste com o município de
Nova Cantu. De acordo com o IPARDES (Instituto Paranaense de Desenvolvimento
Econômico e Social), tendo como fonte os dados divulgados em 28 de agosto de
2015 pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), estima-se que a
população atual do município é de 11.065 habitantes. A localização da cidade de
Roncador pode ser conferida na Figura 1.


Figura 1: Localização do município de Roncador no Estado do Paraná.
Fonte:https://pt.wikipedia.org/wiki/Roncador#/media/File:Parana_Municip_Roncador.svg. Acesso em 16/02/1017.


Na figura 2, temos os municípios que fazem divisa com a localidade que serviu
de base para a investigação aqui relatada.



Figura 2: Municípios que fazem limites com Roncador, Paraná

Fonte: http://www.ipardes.gov.br/cadernos/MontaCadPdf1.php?Municipio=87320. Acesso em 16/02/1017.



No processo de colonização do município de Roncador, os colonos-posseiros
também estavam presentes, em 1923 chegaram as primeiras famílias ucranianas ao
local, estes partiram de Guarapuava como Comissão Exploradora de Terras, tendo
a missão de abrir o terceiro “Picadão”, “os caminhos primeiramente eram trilhas,
picadas em matas fechadas, com muitos obstáculos como rios, rochas, subidas
inclinadas, que dificultavam a vida dos tropeiros” (STECA e FLORES, 2002, p.17),
ou seja, ainda não havia um trecho que ligava Guarapuava, Campo Mourão e Mato
Grosso. Quando passavam pela região, acampavam próximos a um rio que, à noite,
com as ventanias, formava um ronco alto em meio à copa dos pinheiros e à queda
d’água. A partir disso deram o nome ao rio de Roncador, onde mais tarde, em julho
de 1960, passou a ser o nome da cidade. (PREFEITURA DE RONCADOR, 1986, p.
3).


Figura 3: Queda D’agua que originou o nome do município de Roncador
Fonte: http://wibajucm.blogspot.com.br/2011/06/roncador-nasceu-de-um-rio.html. Acesso em 18/02/1017.

Os desbravadores, ainda no ano de 1923, começaram a colonização do
município, que se estendeu até o ano de 1925, onde aos poucos a densa mata
e os pinheirais foram dando lugar a pequenas plantações e criações de suínos.
As famílias que ali chegaram trouxeram consigo sua cultura, idioma, costumes e
seu rito, implantaram na colônia de Roncador suas heranças trazidas da Ucrânia.
(PREFEITURA DE RONCADOR, 1986, p. 3).

Em 1935 a colônia ucraniana de Roncador passou a ter a presença religiosa do
Padre Benedito Melnyk, que vinha a cavalo de Prudentópolis e celebrava as missas
nas casas dos moradores. Para o povo ucraniano, a igreja é a fonte para a vida
espiritual, lugar da força moral e da consciência religiosa, se mostram conservadores
em sua fé em Deus e a suas tradições. A primeira igreja foi construída entre 1930 a
1940, para sua elaboração contaram com o auxílio dos membros da comunidade,
usando como material principal a madeira extraída dos pinheiros locais.

Já no ano de 1960 foi construída a atual igreja de alvenaria, sendo concluída em
1970, com os padrões das matrizes da Ucrânia. As igrejas do rito Bizantino possuem
grandes simbologias em sua arquitetura, tanto em sua parte interior como exterior,
a principal delas é a construção das igrejas em forma de cruz, a mesma é dividida
em três partes, a entrada é chamada de vestíbulo, o corpo da igreja é a nave e o
santuário é o altar. Na parte exterior o que também chama a atenção são as cúpulas,
que podem variar de acordo com um esquema de significados.

A igreja ucraniana de Roncador possui duas cúpulas que simbolizam as duas naturezas de Jesus:
Homem-Deus. No interior da igreja nota-se que no centro geralmente encontra-se o
ícone do padroeiro da comunidade e o IKONOSTÁS, parede coberta de ícones de
santos que separa o santuário, observa-se também que as janelas sempre estão em
grupos de três, e representam a unidade da Santíssima Trindade, destacam ainda
que o altar é, ao mesmo tempo, trono do Senhor, a mesa da ceia e o calvário do
sacrifício. (HISTÓRIA DE RONCADOR TERRA DA FÉ, 2015, p. 3).


Figura 4: Paróquia do rito ucraniano São Nicolau no espaço urbano de Roncador em 2015
Fonte: http://www.centralr3.com.br/112015.html. Acesso em 20/02/1017.

No dia 10 de fevereiro de 1952 chegaram as primeiras Irmãs Servas da
Imaculada Virgem Maria, estas iniciaram a formação e fundação da Escola Nossa
Senhora das Graças, a qual funciona até os dias atuais. Essa escola foi criada devido
à iniciativa do Padre João Irenar Mlaniak com intuito assistencial ao povo ucraniano,
as irmãs lecionavam, catequizavam e davam assistência farmacêutica aos colonos.
(PREFEITURA DE RONCADOR, 1986, p. 4).

Chegando aqui, as irmãs foram recepcionadas pela população, em frente á
antiga capela de São Nicolau, momento em que o Sr. Paulo Gaioski dirigia a
palavra de recepção ás três pioneiras: Irmã Isabel Miguelina Susko, Irmã Eustácia
Melania Uhren e Irmã Dominica Paulina Starepravo. Em suas calorosas palavras
de recepção ressaltou a importância da educação, sem diferenças credo ou
classe social. Disse ainda que, as religiosas enfrentam neste momento com
grande heroísmo a sua missão neste torrão em plena mata verde, fazendo sua
vida um sacrifício em prol da comunidade (CIUPA, 2002, p. 18).

A Escola Nossa Senhora das Graças teve suas primeiras atividades no mesmo
local onde ocorriam as celebrações litúrgicas até o ano de 1953, neste ano o Sr.
Cláudio Silveira Pinto doou o terreno para a construção do prédio escolar. Inicialmente
sua estrutura era de madeira e possibilitou a acomodação de até 200 alunos de 1ª a
4ª série, que acolhia não só os colonos ucranianos, mas a comunidade em geral. No
ano de 1974 o prédio de madeira passou a ser de alvenaria, com 500 lugares, já em
1981 iniciou-se o trabalho com ensino pré-escolar e 1ª a 4ª série, contando com 300
alunos matriculados. (PREFEITURA DE RONCADOR, 2016, p. 39).

Evidencia-se, assim, a importância do trabalho dos padres e das religiosas
para a vida dos colonos nesse período da história, pois estes eram a solução para
qualquer dificuldade que ali encontrassem. Somente no ano de 1950 que o local
começou seu processo de desenvolvimento, aumentando sua população, abertura
de comércios como serrarias, posto de gasolina, farmácia, mercearia, entre outros.
A partir disso, em 1960 a localidade que era distrito de Campo Mourão se tornou
município através de sua emancipação política.

As famílias migrantes que colonizaram as terras de Roncador proporcionaram
o destaque de sua cultura neste espaço, impregnando-o com suas formas culturais,
não só religiosas, mas com sua língua, música e dança, isso pode ser visto com a
criação do Grupo Folclórico Ucraniano Vesná, que vem desde 1973 destacando as
tradições da comunidade de Roncador.

O fundador do grupo foi o Padre Marcos Heuko, que neste período atuava na
Paróquia de São Nicolau. Inicialmente o Vesná era composto exclusivamente por
jovens descendentes da cultura ucraniana, porém nas últimas gerações e atualmente
abrange integrantes de todas as culturas, crenças e etnias, é um trabalho com jovens
da comunidade para a divulgação e preservação da tradição cultural ucraniana,
celebrando a cultura por meio da arte, com a dança folclórica, teatro e oficinas, como
a oficina do coral Vesná.

Segundo Ciupa (2002, p. 18) “A palavra Vesná é de origem ucraniana que em
português significa primavera, eles acreditavam que nesta estação do ano os jovens
se sentem mais alegres, e mais dispostos a cultivar a vida, exaltando sua alegria em
forma de dança”.


Referências

Fonte: Letras, Linguística e Artes: Perspectivas Críticas e Teóricas 3

Atena editora 2019

Ivan Vale de Sousa (Organizador)


Capítulo 2 a 10.

A CULTURA UCRANIANA E SUA TRAJETÓRIA NO MUNICÍPIO DE RONCADOR – PR

Ana Flávia Slobodjan dos Santos

Loremi Loregian-Penkal

DOI 10.22533/at.ed.0551909102



Fale com a gente: Contato