:::: MENU ::::


3 | TRADIÇÕES, ARTES E COSTUMES PRESERVADOS NO BRASIL E NA
COMUNIDADE PRESENTE EM RONCADOR.

3.1 Religiosidade


A Ucrânia é um país repleto de tradições, artes e costumes, os imigrantes
trouxeram consigo grande parte deste acervo cultural, como forma de preservar sua
história em seu novo modo de vida. Destacam que buscam com estas tradições
trazer um novo colorido á terra que os acolheu e lhes serviu de nova pátria. De
acordo com Arroyo (1994), nós seres humanos somos culturais, nos construímos
como tal em nosso processo de formação e humanização. Sermos sujeitos culturais
não é algo acidental à nossa condição humana.

Uma das principais características dos ucranianos é a religiosidade. A maioria
dos ucranianos são católicos do rito oriental e uma pequena parte é de ortodoxos.
Na comunidade de Roncador o rito mias seguido é o oriental.

O rito oriental está em plena comunhão com o papa, ou seja, são as igrejas
cristãs surgidas a partir das províncias orientais do Império Romano, caracterizadas
por uma multiplicidade de tradições e ritos litúrgicos, sendo predominante a tradição
bizantina e seu rito correspondente, também chamado de rito bizantino, pode
significar um rito litúrgico.

A liturgia bizantina, da qual a ucraniana é um ramo, tem origem na de Jerusalém,
de São Tiago, reformada por São Basílio Magno e abreviada por São João
Crisótomo, no século IV. Foi logo aprovada pela Igreja, sendo seguida até hoje
por grande número de cristãos do Oriente e pelos fiéis do rito ucraniano, o qual é
todo celebrado na língua ucraniana (BORUSZENKO, 1969, p. 431).

As cerimônias das missas são cheias de simbolismo, um dos que mais chama
a atenção na liturgia é o celebrante, pois este é considerado como o guia, o pastor
que caminha diante do rebanho para conduzir os fiéis para as fontes de graça e da
salvação, por isso o mesmo celebra a missa de costas para o povo. (HISTÓRIA DE RONCADOR TERRA DA FÉ, 2015, p. 4).




Figura 5: Celebração litúrgica ucraniana do rito bizantino
Fonte: http://pilulasliturgicas.blogspot.com.br/2012/11/divina-liturgia-na-memoria-de-sao.html. Acesso em
20/02/1017.

A Igreja ucraniana, para reviver importantes acontecimentos da história da
criação e redenção do homem, apresenta uma ordem de tempo de celebrações destes
mistérios, tendo no mínimo 10 principais “dias santos” durante o ano, celebrações
estas sempre rezadas e cantadas na língua ucraniana.

Desde a chegada dos imigrantes até hoje, a principal fonte de preservação e
ensinamentos religiosos na comunidade São Nicolau é a catequese. A catequese faz
parte da ação evangelizadora da Igreja que envolve aqueles que aderem a Jesus
Cristo. Catequese é o ensinamento essencial da fé, não apenas da doutrina como
também da vida, levando a uma consciente e ativa participação do mistério litúrgico
e irradiando uma ação apostólica. Segundo o Documento de Puebla (1979) e a
afirmação dos Bispos do Brasil, a catequese é um processo de educação da fé em
comunidade, é dinâmica, é sistemática e permanente.

A catequese é ministrada aos sábados pelas Irmãs servas de Imaculada
Conceição, como também por catequistas leigas. Além da parte religiosa elas
disponibilizam à comunidade vários cursos com a finalidade de aproximar os
participantes de costumes e hábitos do país de origem, entre eles estão a língua,
a dança, a arte e a culinária. Bem como, há a oferta de cursos de língua ucraniana
como forma de manutenção e divulgação da língua.

3.2 Dança Folclórica

A dança popular é uma das mais antigas expressões da cultura do povo
ucraniano, se origina geralmente nas manifestações de cultos religiosos, em particular
nas celebrações ligadas às mutações da natureza. As danças folclóricas ucranianas
destacam-se por serem realizadas ao ar livre, coreografias próprias das planícies da
Ucrânia, compostas por movimentos rotativos, com formações de figuras e linhas
geométricas, encantam a todos que assistem pelo seu ritmo vibrante, de confiança,
coragem e principalmente exuberância de seus trajes e acessórios.

Segundo o livreto da História de Roncador terra da fé 2015., as danças são
divididas em três categorias, danças em grupos, aos pares e individuais. As danças
em grupos representam os festejos e cerimônias antigas, já as danças em pares
lembram as expressões dos sentimentos e ocorrências humanas, e por fim as danças
individuais trazem consigo as reminiscências das antigas competições e desafios.

As danças também são descritas como “circulares”, ligadas a uma festa
específica, temas religiosos e espirituais, e como “sociais”, as danças costumeiras,
que refletem o cotidiano das pessoas e são dançadas em casamentos e festas em
geral. As danças circulares refletem um misticismo único e simbologias particulares.
Já as sociais podem ser dançadas em qualquer tempo ou lugar. Um exemplo de uma
dança bastante conhecida é a Kolomeika, dançada em casamentos, Vilson (2010, p.

01) destaca que:
O korovai (коровай) é um dos elementos fundamentais do casamento tradicional
ucraniano. O mesmo consiste num grande pão doce, arredondado, que recebe na
parte superior adornos feitos com a própria massa, em forma de lua e estrela que
são representações do casal (...). A dança do korovai, ao som das “kolomeikas”
é um dos principais momentos dos casamentos ucranianos, onde a alegria é
contagiante. O korovai é um símbolo do sol e do amor que deve habitar em suas
vidas, é uma homenagem aos noivos e uma bênção para o seu casamento.


3.3 Cantigas Populares

Nas canções ucranianas reflete-se a história, a vida, os costumes e os
sentimentos sobre a Ucrânia, pois tratam de fatos da vida camponesa, dos encontros
e desencontros das relações amorosas, da vida cotidiana, são canções nacionalistas,
que convocam o povo ucraniano a lutar por seu país. A Ucrânia foi durante a maior
parte de sua história dominada por outras nações, e os temas heróicos surgem
assim frequentemente no repertório musical dos membros da etnia.

Uma das tradições mais antigas que é preservada em Roncador e envolve as
cantigas ucranianas é a “Kolhadá” (canções natalinas).

As Koliadê ocorrem no dia de Natal. Formam-se grupos de cada faixa etária, que
circulam entre as casas dos membros da comunidade e cantam estas canções
(Коляда – Koliadá – é o nome tanto do ritual quanto das canções). Os grupos são
recebidos, cantam e declamam uma mensagem desejando saúde e prosperidade
para o ano seguinte. O dono da casa serve então comidas e bebidas e, no final
da visita, faz uma colaboração em dinheiro para a paróquia (PREFEITURA DE
RONCADOR, 2016, p. 01).

Atualmente a paróquia de São Nicolau, tendo como objetivo a preservação das
cantigas populares na comunidade, criou o coral Vesná, parte do resgate da cultura
ucraniana de Roncador, desenvolvida pela Associação Vesná, cujos trabalhos
iniciaram no ano de 2015.


Fotografia: Eluir Ribeiro Junior / arquivo pessoal Associação Vesná de Roncador

3.4 Artesanato

O artesanato ucraniano tem raízes nos hábitos agrários e é representado
pelos bordados e pinturas de desenhos seculares, cerâmica, entalhe em madeira,
tecelagem, xilogravura, pintura de bonecas e de ovos típicos, as famosas pêssankas,
importantes elementos da cultura que ainda conservam inúmeras características
bizantinas.
Um dos principais ícones do artesanato ucraniano são as pêssankas, “contase
que os povos na era pagã decoravam ovos para dar as boas-vindas ao sol,
festejando a primavera para assegurar fertilidade ao homem, à terra e aos rebanhos:
A pêssanka simbolizava, assim, o renascimento da terra na primavera” (ZANELATTO,
2013, p. 1).
Pysanky, pysankla e pêssanka são palavras que derivam da palavra ucraniana
“pessaty”, que significa escrever. A arte de colorir os ovos ficou assim denominada
pelo fato de ser expresso algo por meio dos desenhos, das formas e das cores
utilizadas. Dar uma pêssanka é dar um presente simbólico da vida, pois o ovo em
sua simbologia deve renascer por inteiro, além disso, cada um dos desenhos e das
cores da pêssanka possui um significado profundo. Tradicionalmente, os desenhos
são escolhidos para combinar com o caráter da pessoa a quem a pêssanka será
dada como presente. (HISTÓRIA DE RONCADOR TERRA DA FÉ, 2015, p. 14)
.
“Há indícios de que os ucranianos produziam pêssankas desde 3.000 a.C., com
ferramentas rústicas e desenhos não tão elaborados como os de hoje em dia.
Como os ucranianos veneravam a natureza, antes da conversão ao cristianismo,
na Festa da Primavera ofereciam presentes ao deus Dajbóh, equivalente a Apolo,
e entre eles sempre se encontravam pêssankas. Quando o príncipe Wolodymir
adotou o cristianismo como religião oficial do país, o clero adaptou a arte dos
ovos decorados à nova realidade e eles passaram a ser uma tradição de Páscoa”
(MICHALZECHEN, 2013, p. 01).
A pêssanka é feita, tradicionalmente, durante a última semana da Quaresma,
que é festejada no calendário católico e ortodoxo. Os ovos pintados são levados à
Igreja na celebração no sábado de aleluia para serem abençoadas pelos sacerdotes.
Estes ovos carregam as camadas mais profundas do misticismo religioso para os
ucranianos, pois acreditam que ao ofertar ou receber uma pêssanka esta traz consigo

fortuna, prosperidade, saúde e proteção, sendo considerada como um talismã
de proteção e não apenas um elemento decorativo. (HISTÓRIA DE RONCADOR
TERRA DA FÉ, 2015, p. 14).


Foto: Rafaela Korpan / Arquivo pessoal da Associação Vesná de Roncador

Continua...

Referências

Fonte: Letras, Linguística e Artes: Perspectivas Críticas e Teóricas 3

Atena editora 2019

Ivan Vale de Sousa (Organizador)


Capítulo 2 a 10.

A CULTURA UCRANIANA E SUA TRAJETÓRIA NO MUNICÍPIO DE RONCADOR – PR

Ana Flávia Slobodjan dos Santos

Loremi Loregian-Penkal

DOI 10.22533/at.ed.0551909102
Fale com a gente: Contato